Artista: Stormzy
Gênero: Hip-Hop, Grime, Rap
Acesse: https://www.facebook.com/stormzyofficial/

 

Um dia após o lançamento de Gang Signs & Prayer (2017, Merky), em 25 de fevereiro, Austin Darbo, editor sênior do Spotify, fez uma inusitada publicação em sua conta Twitter: “Eu nunca vi nada assim. Todas as músicas do [primeiro] álbum de Stormy estão no Top 50 do Spotify. Estou sem palavras”. E não poderia ser diferente. Da abertura do disco, na minimalista First Things First, passando pela coleção de rimas e beats que se espalham ao longo da obra, cada fragmento do trabalho parece pensado de forma a atrair a atenção do público.

Autointitulado “uma criança do grime”, como resumiu em entrevista, Michael Omari, verdadeiro nome do rapper, passou os últimos anos se revezando em uma série de registros independentes e trabalhos assinados em parceria com diferentes representantes do Hip-Hop, pop e R&B. Composições como Shape of You, parceria recente com o conterrâneo Ed Sheeran, Ambition, da cantora Raye, além de uma série de remixes e rimas espalhadas em uma variedade de obras recentes.

Toda essa pluralidade de ideias, personagens e referências acaba se refletindo na forma como Stormzy e o produtor Fraser T Smith (Adele, Katy B) detalham cada uma das 16 composições de Gang Signs & Prayer. Recortes instrumentais, poéticos e visuais que começam na capa do álbum, uma interpretação sombria da Santa Ceia, de Leonardo da Vinci, passa pela rica tapeçaria orquestral e cresce em cada sample dissolvido pela obra. Retalhos, como Intro (Like Velvet), parte do primeiro álbum da cantora NAO, For All We Know (2016), ou mesmo versos que se conectam diretamente ao trabalho de outros artistas.

Claramente influenciado pelo trabalho de Kanye West, artista que convidou o rapper a participar da intensa performance de All Day, durante o BRIT Awards 2015, Stormzy se transforma no grande protagonista da própria obra. Canções marcadas por relacionamentos conturbados, caso de Cigarettes & Cush, parceria com Kehlani, ou mesmo versos centrados no crescimento do próprio artista, vide Big for Your Boots, música que catapultou o rapper para o topo das principais paradas de sucesso.

Continue Reading "Resenha: “Gang Signs & Prayer”, Stormzy"

Artista: NAO
Gênero: R&B, Electronic, Funk
Acesse: https://www.facebook.com/thisnao/

 

Sem pressa, Neo Jessica Joshua passou os últimos dois anos conquistando o próprio espaço dentro da presente cena britânica. Sob o título de NAO, a cantora e produtora londrina estreitou o diálogo com outros artistas locais, caso de A.K. Paul no single So Good, de 2014, e também com a dupla Disclosure em Superego, de 2015, além, claro, de apresentar ao público dois ótimos EPs, entre eles, February 15, um dos principais exemplares do pop inglês no último ano.

Com a chegada de For All We Know (2016, Little Tokyo Recordings), primeiro álbum de estúdio da cantora, todo esse lento processo de amadurecimento se manifesta na construção de uma obra essencialmente plástica, concisa. De forma autoral, NAO parece revisitar uma série de referências e obras que marcaram o R&B/Pop/Funk dos anos 1980 e 1990, encontrando no trabalho de artistas como Prince e Aaliyah a base para o rico catálogo de hits que cresce no interior da obra.

Ao mesmo tempo em que dialoga com o passado, durante toda a construção do disco, a cantora manipula o pop à sua maneira. São vocalizações eletrônicas, o baixo sujo, batidas e todo um conjunto de ideias que transportam o som produzido pela cantora para um novo cenário. Perceba como uma fina camada de ruído se espalha ao fundo da delicada Get to Know Ya. Em In The Morning, oitava faixa do disco, uma letra que poderia ser de Adele, mas acaba mergulhando em uma atmosfera completamente instável, por vezes íntima do som produzido pelo conterrâneo James Blake.

Mesmo nos instantes em que mais se aproxima do grande público, caso de Fool To Love e Bad Blood, a cantora em nenhum momento se deixa guiar pelo óbvio. São versos apaixonados, intimistas e naturalmente consumidos pela dor, porém, sempre explorados de forma propositadamente torta. O refrão pegajoso está lá, acessível, porém, dissolvido em meio a mudanças bruscas de ritmo, instantes de recolhimento, explosões e curvas que a todo momento fisgam o ouvinte pelo inesperado.

Continue Reading "Resenha: “For All We Know”, NAO"

. Responsável por algumas das composições mais poderosas, sensíveis e românticas apresentadas nos últimos meses, a cantora e produtora NAO anuncia a chegada do primeiro álbum de inéditas. Intitulado For All We Know (2016), o sucessor do ótimo February 15 EP, de 2015, conta com 18 composições – como Bad Blood e Fool To Love –, além de uma sequência de colaborações com produtores britânicos – caso de A. K. Paul e da dupla Abhi Dijon. Mais recente composição inédita de NAO, Girlfriend mostra a importância da voz…Continue Reading “NAO: “Girlfriend””

. Dona de uma das melhores composições de 2015, Bad Blood, e também responsável pelo ótimo February 15 EP, a cantora, produtora e compositora britânica NAO deve lançar o primeiro álbum da carreira pelos próximos meses. Enquanto o registro, que será lançado pelo próprio selo da artista, Little Tokyo Recordings, não é apresentado oficialmente ao público, a melhor forma de se contentar é com a recém-lançada Fool To Love. Entregue ao público para celebrar a nova série de shows da cantora, a faixa de batidas dançantes e explícita…Continue Reading “NAO: “Fool To Love” (VÍDEO)”

. Dona de uma das melhores composições de 2015, Bad Blood, e também responsável pelo ótimo February 15 EP, a cantora, produtora e compositora britânica NAO deve lançar o primeiro álbum da carreira pelos próximos meses. Enquanto o registro, que será lançado pelo próprio selo da artista, Little Tokyo Recordings, não é apresentado oficialmente ao público, a melhor forma de se contentar é com a recém-lançada Fool To Love. Entregue ao público para celebrar a nova série de shows da cantora, a faixa de batidas dançantes e…Continue Reading “NAO: “Fool To Love””

Um ano repleto de grandes lançamentos musicais sempre vem acompanhado de clipes impactantes. Em 2015 não poderia ser diferente. Do Hip-Hop de Kendrick Lamar (Alright) e Vince Staples (Señorita), passando pelo pop de Anitta (Bang) e Rihanna (Bitch Better Have My Money) até o rock de bandas como Blur (Lonesome Street) e os experimentos eletrônicos de Oneohtrix Point Never (Sticky Drama), sobram grandes produções que exploraram de forma assertiva a relação entre som e imagem.

São vídeos dirigidos por veteranos como Katia Lund e Johan Renck, e até mesmo trabalhos assinados por artistas novatos como FKA Twigs e Grimes. Abaixo, nossa seleção com os 32 melhores clipes lançados nos últimos meses.

Continue Reading "Os Melhores Clipes de 2015"

. Em 2015, a cantora britânica NAO apareceu para o mundo. Lançou um dos melhores EPs do ano, o ótimo February 15, regravou Thinkin Bout You do cantor Frank Ocean, e ainda trabalhou ao lado dos irmãos Howard e Guy Lawrence no segundo álbum de estúdio do Disclosure, Caracal. Para encerrar o ano e preparar o terreno para o catálogo de novidades que serão despejadas em 2016, nada melhor do que uma canção inédita da artista: Bad Blood. Oposto ao som da faixa homônima lançada por Taylor…Continue Reading “NAO: “Bad Blood””

. Como se não bastasse a presença de Sam Smith (Omen) e Gregory Porter (Holding On), há poucos dias o Disclosure anunciou no Facebook o time completo de produtores e artistas que devem ocupar os vocais de Caracal (2015). Entre os convidados a participar do segundo álbum de inéditas da dupla formada por Guy e Howard Lawrence, nomes como Miguel, The Weeknd, Lion Babe, NAO, a cantora neo-zelandesa Lorde e o conterrâneo Kwabs, responsável pelos vocais da recém-lançada Willing & Able. Dono de uma sequência de bons EPs…Continue Reading “Disclosure: “Willing & Able” (ft. Kwabs)”

. Dona de um dos melhores EPs de 2015, Febuary 15, a cantora e compositora britânica NAO acaba de presentear o público com uma grata surpresa. Em passagem pelos estúdios da BBC Radio 1, em Londres, a jovem, acompanhada pelo produtor Mura Masa, decidiu dar novo enquadramento ao clássico recente Thinkin Bout You, uma das principais composições assinadas pelo norte-americano Frank Ocean no disco Channel Orange, de 2012. Minimalista e comportada, a canção pode até ter perdido um pouco do sentimento de entrega causado por Ocean,…Continue Reading “NAO: “Thinkin Bout You” (Frank Ocean) Cover”