Tag Archives: Remix

CHVRCHES: “We Sink” (The Range Remix)

Chvrches

.

Se por um lado as canções lançadas pelo CHVRCHES em The Bones Of What You Believe, de 2013, reverberam boas melodias, letras fáceis e um cuidado típico da música pop, em se tratando dos remixes a sonoridade buscada é outra. Em busca de um resultado minimamente estranho, o trio já se relacionou com produtores como Tourist, KDA e Ikonika, deixando nas mãos de James Hinton, produtor aos comandos do The Range, a nova versão da música We Sink.

Segunda canção do álbum, a faixa originalmente rápida e crescente mergulha de vez na atmosfera lançada pelo norte-americano. Valorizando as batidas, camadas cíclicas e a voz Lauren Mayberry tratada como uma ferramenta, Hinton praticamente recria a música. Ainda que a abertura mantenha a tonalidade da música original, quanto mais cresce, mais a faixa parece com uma sobra (ou extensão) de Nonfication, estreia do artista. Estranha e ainda assim atrativa.

.

CHVRCHES – We Sink (The Range Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , ,

St. Vincent: “Digital Witness” (Darkside Remix)

St. Vincent

.

As guitarras, vozes e pequenas distorções “limpas” promovidas por Annie Erin Clark encontram novo sentido nas mãos de Nicolas Jaar e o parceiro de criação Dave Harrington. Convidados a produzir o remix de Digital Witness, um dos hits que abastecem o quarto e mais novo álbum de St. Vincent, o duo norte-americano não apenas deu novo sentido à ensolarada criação, como transportou a obra de Clark para o mesmo universo de Psychic (2013), último álbum da dupla pelo Darkside.

Excêntrica, suja e maquiada pelos ruídos, a canção mantém o mesmo direcionamento da faixa original, porém, interpretada de acordo com as exigências dos produtores. Com um minuto a mais do que a versão original, o remix reforça todas as características do duo à frente do Darkside, como as vozes remodeladas, guitarras tratadas em um esforço sombrio e toda uma base de pequenas colisões sintéticas, palco para os quatro minutos e 20 segundos da “nova” composição.

.


St. Vincent – Digital Witness (Darkside Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , ,

Beyoncé: “Drunk In Love” (Kanye West/The Weeknd Remix)

Beyoncé

.

Todos querem ser Beyoncé. Lançado aos 45 dos segundo tempo em 2013, o quinto trabalho de estúdio da cantora norte-americana continua reverberando de forma assertiva em diferentes campos da música pop – e até mesmo fora dela. Depois da série de remixes e versões que vem ocupando a internet ao longo dos últimos meses, chega a vez de dois artistas de peso apresentarem suas próprias interpretações/remixes da faixa: Kanye West e The Weeknd.

Enquanto o primeiro é encaixado em um remix curioso da canção, o segundo resolveu brincar completamente com a essência da música. Utilizando do próprio vocal e de pequenas alterações instrumentais na faixa, Abel Tesfaye encontra na música uma espécie de continuação do exercício testado com Kiss Land, lançado em 2013. São as mesmas batidas ascendentes em proximidade aos vocais frenéticos, exercício que sustenta apenas o versão da música original. Na dúvida, fique com a versão original.

.

Beyoncé – Drunk In Love (ft. Jay Z & Kanye West)

.


Beyoncé – Drunk In Love (The Weeknd Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , , ,

Seinabo Sey: “Younger”

Seinabo Sey

.

A voz forte e a melancolia enquadrada de maneira particular garantiram ao trabalho de Seinabo Sey um lugar de destaque na presente cena britânica. Ao lado de Ella Eyre, e demais vozes locais, a cantora parece aproximar o R&B e o Pop sem perder o toque leve de experimentação, tratamento que Younger, primeira canção de trabalho da artista, reforça em uma sutileza comovente.

Conduzida em totalidade pelos vocais consistentes da cantora, a nova música aparece agora transformada em clipe. Com um trabalho de direção assinado por Gustav Johansson, o registro lembra em diversos aspectos a estética de Adele, utilizando de planos centrados na cantora, e outros em personagens específicos. Ainda que se sustente por conta, a canção traz no remix de Kygo (abaixo), um reforço mais do que natural para a obra de Seinabo.

.

Seinabo Sey – Younger

.

Seinabo Sey – Younger (Kygo Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , ,

Neneh Cherry: “Everything”

Neneh Cherry

.

Desde que alcançou os ouvidos do público com Blank Project, no último ano, Neneh Cherry fez do ainda inédito quarto álbum solo uma das obras mais aguardadas de 2014. Produzido ao lado de Kieran Hebden (Four Tet), o trabalho é o primeiro grande invento particular da artista sueca desde Man, de 1996. Ainda atenta ao cruzamento de ritmos – Eletrônica, Hip-Hop, Soul e Trip-Hop -, a cantora faz da recente Everything mais uma prévia do que se esconde nas emanações do novo álbum.

Com mais de sete minutos de duração, a nova faixa segue de perto toda a atmosfera do single anterior. Um pouco mais “tímida”, mas não menos atraente, a canção dança por entre colagens experimentais, vozes que transitam por diferentes esferas, até aportar em um conjunto de reverberações essencialmente hipnóticas e quentes ao final da música. À convite, os produtores Ricardo Villalobos e Max Loderbauer apresentaram ainda um remix da canção, que se estende por mais de 10 minutos e reforça ainda mais a proposta climática em torno da recente faixa. Blank Project tem lançamento agendado para o dia 26 de Fevereiro.

.

Neneh Cherry – Everything

.

Neneh Cherry – Everything (Ricardo Villalobos & Max Loderbauer Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , , , ,

Beyoncé: “Partition” (Azealia Banks & Busta Rhymes)

Beyoncé

.

Azealia Banks não perde a oportunidade de passear pela obra alheia. Assim como já aconteceu com Baauer, Interpol e The Strokes no último ano, chega a vez da artista nova-iorquina brincar com o trabalho de Beyoncé. A escolhida para ser remixada e ter alguns dos versos da rapper encaixados sem grandes alterações foi Partition, uma das composições mais sóbrias do quinto e homônimo álbum da diva. acompanhada de perto por Busta Rhymes, que inclusive abre a canção, Banks assume a função de potencializar o clima brando da faixa – pontuada pelo uso de vocalizações climáticas e batidas soturnas que esbarram no R&B 90’s.

Diferente dos anteriores projetos em que emprestou os próprios vocais, em Partition a rapper parece até recatada, o que não quer dizer que seja impossível notar sua presença, ainda mais rimando de forma erótica, em francês. Distante dos holofotes há alguns meses, Azealia reserva para março a chegada do aguardado Broke With Expensive Taste, primeiro e aguardado registro em estúdio.

.

Beyoncé – Partition (Azealia Banks & Busta Rhymes)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , ,

Vampire Weekend: “Step” (Feat. Danny Brown, Heems & Despot)

Vampire Weekend

.

Desde o lançamento do clipe para Diane Young há alguns meses, o Vampire Weekend e seus integrantes pouco se interessaram em lançar qualquer novo material relacionado ao ainda quente Modern Vampires of The City (2013). Terceiro registro em estúdio do quarteto nova-iorquino e um dos grandes discos do último ano – o melhor na nossa lista de lançamentos internacionais -, o trabalho parece ter se sustentado por conta, o que não quer dizer que a banda tenha esquecido dele. Para celebrar a boa recepção do disco, um time de rappers foi convidado para a nova versão da faixa Step. Terceira faixa do álbum e uma das primeiras canções a serem apresentadas, a canção encontra nas rimas de Danny Brown, Heems e Despot um natural complemento para a lírica urbana de Ezra Koenig, que no começo e fechamento da música ainda marca presença.

.

Vampire Weekend – Step (Feat. Danny Brown, Heems & Despot)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , ,

Ryan Hemsworth: “☺RYANPACKv.1☺”

Ryan hemsworth

.

Se existe alguém que trabalhou muito em 2013, este foi Ryan Hemsworth. Dono do ótimo Still Awake EP e do climático Guilt Trips, o produtor canadense fez do catálogo de remixes, versões e pequenos recortes instrumentais, a abertura para uma das obras mais extensas e versáteis do ano. Mesmo apresentando tudo em sua movimentada página no Soundcloud, Hemsworth reservou algumas surpresinhas especialmente para presentear o público que o acompanha. Trata-se da coletânea ☺RYANPACKv.1☺, trabalho que concentra dez músicas inéditas produzidas recentemente e que seguem a mesma trilha inventiva do produtor. Além dos (ótimos) remixes para Lorde, Danny Brown, Beyoncé e Disclosure, Hemsworth preparou uma mensagem de agradecimento ao público e um pequeno compilado de fotos tiradas por/com alguns fãs. Para baixar todo o trabalho de forma gratuita, basta clicar na capa logo em sequência. Abaixo você também pode ouvir e baixar o ótimo Still Awake EP.

.

Ryan Hemsworth

Ryan Hemsworth - ☺RYANPACKv.1☺

.

Ryan Hemwsorth – Still Awake EP

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , , , , ,

Disclosure: “Help Me Lose My Mind” (S O H N Remix)

hanna reid

.

De todas as composições que recheiam Settle (2013), álbum de estreia da dupla Disclosure, Help Me Lose My Mind, faixa de encerramento do disco, talvez seja a composição mais isolada de todo o projeto. Parcialmente distante das pistas, a canção encontra na voz densa de Hanna Reid (London Grammar) um natural complemento para as batidas sintéticas dos irmãos Lawrence. Marcada pelo teor soturno das vozes e arranjos, a canção amplia significativamente esse resultado nas mãos do austríaco S O H N, responsável pelo novo remix da canção. Parte do esperado Settle – The Remixes, a canção assume em pequenos experimentos e nítidas transformações vocais (típicas do trabalho do produtor) uma assertiva mudança. A voz de Reid ocupa com beleza todas as direções da música, que escapam dos domínios da dupla original para cair nas mãos do seu novo “criador”.

.


Disclosure – Help Me Lose My Mind (S O H N Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , ,

Disclosure: “Latch” (DJ Premier Remix)

Disclosure

.

Muita gente dançou ao som de Disclosure em 2013, e para o próximo ano não deve ser diferente. Com previsão de lançamento para o dia 17 de Dezembro, Settle: The Remixes deve revisitar alguns aspectos da obra de estreia do duo britânico, trazendo em um catálogo específico de remixes um novo olhar sobre o bem recebido registro. Com um acabamento que deve funcionar dentro e fora das pistas, o álbum trouxe na produção de Kaytranada e sua curiosa interpretação de January o primeiro exemplar do disco, entretanto, é na versão de DJ Premier para Latch que o projeto mostra de fato a que veio. Um pouco mais lenta que a faixa original, o remix assume nas batidas arrastadas um espaço maior para os vocais de Sam Smith, que confortavelmente ocupa todas as direções da “nova” música. Settle é um dos 50 Melhores Discos Internacionais de 2013 segundo nossa lista de melhores do ano.

.

Disclosure – Latch (DJ Premier Remix)

.

Disclosure – January (Kaytranada Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , ,