Artista: The Magnetic Fields
Gênero: Indie, Alternativa, Indie Pop
Acesse: http://www.houseoftomorrow.com/

 

Em 2015, o cantor e compositor norte-americano Stephin Merritt celebrou o aniversário de 50 anos. Inspirado pela data e diferentes acontecimentos ao longo da própria vida, o músico original de Boston, Massachusetts deu início a um novo e inusitado projeto. Acompanhado pelos integrantes do The Magnetic Fields, Merritt transformou memórias e fatos importantes de todo esse período no principal componente para as canções do biográfico 50 Song Memoir (2017, Nonesuch).

Primeiro registro de inéditas da banda desde o mediano Love at the Bottom of the Sea, de 2012, o trabalho de 50 faixas e mais de duas horas e meia de duração traz de volta o mesmo cuidado de Merritt na composição do clássico 69 Love Songs, de 1999. A principal diferença está na forma como o músico norte-americano amarra diferentes histórias e personagens de forma propositadamente instável, fugindo da articulação de um tema específico – caso do “amor” no álbum lançado há 18 anos.

Desenvolvido de forma cronológica, 50 Song Memoir abrange o período que vai de 1966, com a inaugural Wonder Where I’m From, até 2015, estímulo para a derradeira Somebody’s Fetish. O trabalho se divide ainda em cinco atos específicos, uma para cada década de Merritt, como capítulo dentro de uma extensa biografia. Entretanto, a separação em nada altera a particular interpretação dos fatos e acontecimentos, centrados em memórias do próprio cantor.

Doce, irônico, contemplativo e melancólico, Merritt parece brincar com a interpretação do ouvinte durante toda a construção do trabalho. Ao mesmo tempo em que detalha um universo de composições amargas, centradas em desilusões (Lover’s Lies) e conflitos pessoais (I’m Sad!), o toque pueril de músicas como A Cat Called Dionysus garante frescor e leveza ao disco. O problema está na forma como algumas canções se repetem melodicamente, resultando na formação de um álbum que parece arrastado em diversos momentos. Nada que prejudique de fato o crescimento do disco.

Continue Reading "Resenha: “50 Song Memoir”, The Magnetic Fields"

 

Em 1999, Stephin Merritt apresentou ao público um projeto inusitado. Em três discos, um extenso catálogo de faixas que deram vida ao clássico 69 Love Songs, uma coletânea de versos apaixonados, intimistas e melancólicos, como se o cantor e compositor norte-americano provasse de todas as nuances do amor. Para celebrar a própria carreira, Merritt decidiu investir em um novo trabalho, produzindo outras 50 canções inéditas, uma para cada ano de vida, combustível para o extenso 50 Song Memoir (2017).

Responsável por grande parte expressiva dos arranjos – Merritt tocou mais de 100 instrumentos durante o processo de gravação da obra –, o cantor e compositor norte-americano decidiu presentear o público com cinco canções presentes no disco. Além da embriagada Be True To Your Bar (ouça abaixo), faixa movida por um delicado arranjo orquestral, ainda é possível ouvir as inéditas Me and Fred and Dave and TedHow I Failed EthicsBig Enough for Both of Us e No.

50 Song Memoir (2017) será lançado no dia 03/03 via Nonesuch.

 

The Magnetic Fields – Be True To Your Bar

Continue Reading "The Magnetic Fields: “Be True To Your Bar”"