Parceiros de longa data, Ariel Pink e Natalie Mering, artista responsável pelo Weyes Blood, estão de volta com um novo projeto de estúdio. Colaboradores desde o último álbum do Ariel Pink’s Haunted Graffiti, Mature Themes (2012), obra que contou com a voz de Mering em diversas composições, o casal se reencontra agora dentro do experimental Myths 002 (2017), um registro de quatro faixas que integra a série de obras colaborativas produzidas pelo selo Mexican Summer.

Assim como na primeira edição do projeto, obra que apresentou a parceria entre os músicos Dev Heynes (Blood Orange) e Connan Mockasin, o novo registro nasce como um curioso exercício criativo. Em Tears O Fire, primeiro exemplar do encontro entre Pink e Mering, melodias, arranjos e vozes que dialogam com a essência dos dois artistas. Um perfeito encontro entre os inventos lançados do músico californiano no álbum pom pom (2014) como nas canções do recente álbum do Weyes Blood, Front Row Seat to Earth (2016).

Myths 002 EP (2017) será lançado no dia 27/01 via Mexican Summer.

 

Ariel Pink & Weyes Blood – Tears On Fire

Continue Reading "Ariel Pink & Weyes Blood: “Tears On Fire”"

Natalie Mering passou por um lento processo de amadurecimento nos últimos cinco anos. Do lançamento do primeiro disco como Weyes Blood, o obscuro The Outside Room (2011), passando pela produção de obras como The Innocents (2014) e até o EP Cardamom Times (2015), cada trabalho apresentado pela cantora e compositora nova-iorquina parece aproximar o público de um novo universo de possibilidades e temas instrumentais, proposta que se reforça com a chegada do doloroso Front Row Seat to Earth (2016, Mexican Summer).

Movida pela solidão, medos e saudade, Mering faz de cada composição ao longo do registro um claro exercício de exposição do próprio sofrimento. “Você precisa de mim do jeito que eu preciso de você? / Vamos ser sinceros para uma mudança / Você precisa de alguém? / Você precisa do meu amor?”, questiona em Do You Need My Love, um atormentado delírio confessional que resume com naturalidade a dor que abastece grande parte das canções do trabalho. Leia o texto completo.

Gravado durante as sessões de fotos para a divulgação de Front Row Seat to Earth (2016), o clipe de Used To Be é o mais novo registro visual da cantora Weyes Blood. A direção do clipe, que acompanha a cantora por diferentes paisagens e cenários desertos é de Laura-Lynn Petrick

Weyes Blood – Used To be

Continue Reading "Weyes Blood: “Used To Be” (VÍDEO)"

Artista: Weyes Blood
Gênero: Chamber Pop, Indie, Folk
Acesse: https://weyesblood.bandcamp.com/

 

Natalie Mering passou por um lento processo de amadurecimento nos últimos cinco anos. Do lançamento do primeiro disco como Weyes Blood, o obscuro The Outside Room (2011), passando pela produção de obras como The Innocents (2014) e até o EP Cardamom Times (2015), cada trabalho apresentado pela cantora e compositora nova-iorquina parece aproximar o público de um novo universo de possibilidades e temas instrumentais, proposta que se reforça com a chegada do doloroso Front Row Seat to Earth (2016, Mexican Summer).

Movida pela solidão, medos e saudade, Mering faz de cada composição ao longo do registro um claro exercício de exposição do próprio sofrimento. “Você precisa de mim do jeito que eu preciso de você? / Vamos ser sinceros para uma mudança / Você precisa de alguém? / Você precisa do meu amor?”, questiona em Do You Need My Love, um atormentado delírio confessional que resume com naturalidade a dor que abastece grande parte das canções do trabalho.

Em Seven Words, sétima faixa do disco, confissões românticas e versos marcados pelo sofrimento do eu lírico dançam sem pressa no interior da canção. “Com o tempo, ambos estaremos livres dessa bola com correntes … Quando a poeira baixar / E você esquecer que eu estava aqui / Esperando / Pendurada”, canta enquanto uma delicada cortina instrumental desce e cobre toda a base da canção, reforçando a temática dolorosa que Mering usa para dialogar com o ouvinte.

Nos poucos instantes em que a poesia romântica do trabalho deixa de ser um objeto de destaque, a cantora se concentra na produção de faixas que dialogam com o presente. É o caso de Generation Why, música que a artista discute a artificialidade da vida digital e os excessos da geração Y – os Millennials. “Leve-me através das ondas de mudança / Eu sei o meu lugar / É uma coisa bonita / Y-O-L-O, por quê? / Y-O-L-O, por quê? / Y-O-L-O, por quê?”, entrega a letra da canção.

Continue Reading "Resenha: “Front Row Seat to Earth”, Weyes Blood"

 

As últimas semanas foram bastante produtivas para quem acompanha o trabalho da cantora e compositora Natalie Mering. Com Front Row Seat To Earth (2016), novo álbum de inéditas da artista a caminho, uma sequência de novidades serviram de base para o lançamento do registro. Músicas como a melancólica Seven Worlds, a crescente e apaixonada Do You Need My Love e, agora, a inédita Generation Why.

Menos intimista em relação aos últimos lançamentos da cantora, a nova faixa dialoga com o presente. Um olhar curioso de Mering em relação ao tumultuado cotidiano dos jovens norte-americanos, cercados pelo uso aparelhos eletrônicos e novas tecnologias. Junto da canção, um clipe dirigido pela própria Mering. A passagem de uma personagem interpretada pela musicista para dentro de uma versão desconstruída, talvez livre, desse mesmo universo.

Front Row Seat To Earth (2016) será lançado no dia 21/10 via Mexican Summer.

 

Weyes Blood – Generation Why

Continue Reading "Weyes Blood: “Generation Why” (VÍDEO)"

É difícil não se emocionar com o trabalho produzido por Natalie Mering. Cantora e compositora responsável pelo Weyes Blood, a artista norte-americana reserva para o meio de outubro a chegada do segundo álbum de inéditas da carreira, Front Row Seat To Earth (2016). Sucessor dos elogiados The Innocents (2014) e Cardamom Times EP, este último, lançado há pouco menos de um ano, o aguardado registro acaba de ter mais uma de suas canções reveladas ao público: Do You Need My Love.

Marcada pelos detalhes, a nova faixa confirma a travessia de Mering pelo som produzido no meio da década de 1970, proposta anunciada durante o lançamento deSeven Worlds, há poucas semanas, porém, reforçada com naturalidade dentro da presente faixa. Um ato extenso, íntimo dos trabalhos de Karen Dalton. Pouco mais de seis minutos em que a cantora explora de forma melancólica os próprios sentimentos, mergulha em um oceano de temas orquestrais e vozes em coro, revelando ao público uma de suas composições mais delicadas. O clipe da canção conta com direção de Natalie Mering.

Front Row Seat To Earth (2016) será lançado no dia 21/10 via Mexican Summer.

Weyes Blood – Do You Need My Love

Continue Reading "Weyes Blood: “Do You Need My Love”"

 

É difícil não se emocionar com o trabalho produzido por Natalie Mering. Cantora e compositora responsável pelo Weyes Blood, a artista norte-americana reserva para o meio de outubro a chegada do segundo álbum de inéditas da carreira, Front Row Seat To Earth (2016). Sucessor dos elogiados The Innocents (2014) e Cardamom Times EP, este último, lançado há pouco menos de um ano, o aguardado registro acaba de ter mais uma de suas canções reveladas ao público: Do You Need My Love.

Marcada pelos detalhes, a nova faixa confirma a travessia de Mering pelo som produzido no meio da década de 1970, proposta anunciada durante o lançamento de Seven Worlds, há poucas semanas, porém, reforçada com naturalidade dentro da presente faixa. Um ato extenso, íntimo dos trabalhos de Karen Dalton. Pouco mais de seis minutos em que a cantora explora de forma melancólica os próprios sentimentos, mergulha em um oceano de temas orquestrais e vozes em coro, revelando ao público uma de suas composições mais delicadas.

Front Row Seat To Earth (2016) será lançado no dia 21/10 via Mexican Summer.

 

Weyes Blood – Do You Need My Love

Continue Reading "Weyes Blood: “Do You Need My Love”"