Tagore: “Tatu”


Enquanto o mundo se trancava em casa por conta da pandemia de Covid-19, Tagore Suassuna fez de Drama um precioso exercício de libertação criativa. Completa pela participação de Dinho Almeida, da Boogarins, a canção entregue em maio do último ano parecia ampliar a essência psicodélica detalhada pelo cantor e compositor pernambucano durante a produção do psicodélico Pineal (2016). São camadas de guitarras e melodias delirantes, conceito que tem sido explorado pelo artista desde a estreia com Movido a Vapor (2014), casa de músicas como Poliglota e Todos os Olhos.

Agora, meses após o lançamento da canção, Tagora não apenas anuncia a chegada de um novo trabalho de estúdio, Maya (2021), como revela ao público mais uma composição inédita. Inspirada pela cacofonia de Tom Zé no clássico Estudando o Samba (1976), a canção utiliza do minucioso jogo de palavras como estímulo para capturar a atenção do ouvinte. “Tá tudo muito louco“, repete em meio a ambientações lisérgicas, típicas do músico pernambucano. Com previsão de lançamento para os próximos meses, o disco conta ainda com participação de Pupillo Oliveira (ex-Nação Zumbi).



Tagore – Tatu