Windows 96: “Glass Prism”


Pouco mais de um ano após o lançamento do último grande lançamento, Enchanted Instrumentals And Whispers (2019), o sempre prolífico Gabriel Eduardo, o Windows 96, começa a dar indícios de que um novo registro de inéditas está por vir. Em Glass Prism, o artista paulistano que já conta com um vasto acervo de obras entrega ao público mais uma canção que parece dançar pelo tempo. São melodias e vozes sintetizadas que vão da trilha sonora de jogos de videogame ao pop lisérgico de nomes como Neon Indian, proposta que se reflete até o último instante da delirante criação.

Em atuação desde o início da década passada, quando deu vida a uma série de registros caseiros, Windows 96 parece ter encontrado no uso de temas atmosféricos a base para algumas de suas principais criações. São obras como †Nematophy (2017), Gradient Horizont (2017) e One Hundred Mornings (2018) em que o artista paulistano utiliza de sintetizadores, ruídos e batidas espaçadas de forma a dialogar com o som produzido por estrangeiros como Surfing e 2 8 1 4 de forma sempre particular, conceito que ganha ainda mais destaque com a chegada de Glass Prism.


Windows 96 – Glass Prism