Zsela: “Earlier Days”


Em um universo de artistas que vem reinventando a música negra dos Estados Unidos, como Jamila Woods, Solange e Noname, Zsela Thompson é um nome a ser notado. Vinda de uma família de forte relação com as artes – caso do pai, o músico Marc Anthony Thompson, a fotógrafa Kate Sterlin, sua mãe, e a meia-irmã, a atriz Tessa Thompson –, a jovem cantora e compositora parece encontrar na leveza das melodias um precioso cruzamento entre o folk e o soul dos anos 1970, refinamento evidente durante o lançamento do primeiro grande single da artista, a já conhecida Noise.

Poucos meses após o lançamento do trabalho que lhe garantiu comparações a Joni Mitchell e Joan Armatrading, Zsela entrega ao público mais uma composição inédita. Em Earlier Days, a cantora e compositora norte-americana segue de onde parou no primeiro single, porém, estreitando a relação com a música negra de forma ainda mais explícita. Do uso das batidas ao tratamento atmosférico dado aos sintetizadores e vozes, tudo se revela ao público em pequenas doses, sem pressa, sonoridade que naturalmente aponta para o trabalho de Sade no clássico Diamond Life (1984).


Zsela – Earlier Days

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.